Interpretação de Gênesis 25



Interpretação de Gênesis

Interpretação de Gênesis 25


Últimos Dias de Abraão. 25:1-18.
1-6. Desposou Abraão outra mulher ... Quetura. Além de Sara e Hagar, Abraão tomou Quetura como segunda esposa, ou concubina (I Cr. 1:32). Isto deve ter acontecido muitos anos antes da morte de Sara, pois diversos filhos são citados. Os filhos e netos de Hagar e Quetura receberam presentes da mão de Abraão, mas toda a propriedade e autoridade e haveres espirituais ficaram para Isaque, o herdeiro legal do patriarca.
7-10. Com a idade de 175 anos Abraão chegou ao fim de sua caminhada terrena e expirou. Ele expirou. A expressão vem do hebraico geiwa', “exalar o seu fôlego”, “desaparecer”, “sucumbir”. Imediatamente ele foi reunido ao seu povo (literalmente) e tomou posse de sua residência no Sheol. o lugar dos espíritos dos que morrem. Morreu em ditosa velhice, avançado em anos. Um epitáfio adequado para um grande homem de Deus. Sua vida verdadeiramente foi concluída e completa. Ele viveu intrepidamente. Andara pela fé pelos caminhos indicados por Deus. Ao lado do sepulcro na caverna de Macpela estavam seus dois filhos (v. 9), os quais ele amou com afeto insuperado. Isaque e Ismael uniram-se na dor comum e na devoção que ambos tinham por aquele que tanto significara para eles. Sem dúvida Isaque foi fortalecido na sua dor com o pensamento de que permanecia dentro do favor divino especial e que não teria de continuar sozinho. Ele seria o herdeiro das ricas bênçãos da aliança prometidas a Abraão e por meio dele.

Isaque. 25:19 - 26:35.
1) Isaque e Sua Família. 25:19-34.
19-23. Sara, Rebeca, Raquel e Ana, todas foram estéreis e portanto sem filhos até uma certa idade. Foi uma experiência trágica para cada uma delas. Isaque orou ao Senhor por sua mulher. O verbo hebraico 'eitar significa "orar suplicando", ou "implorar". Quando usado no sentido passivo, indica que o sujeito foi vencido pela oração e atendeu. Isaque orou fervorosamente por sua esposa estéril, e Jeová submeteu-se às suas súplicas. Rebeca deixou de ser estéril e concebeu. A oração incessante recebeu a recompensa divina.
24-34. Eis que se achavam gêmeos no seu ventre. (v. 24). Antes mesmo de Esaú e Jacó nascerem, lutaram entre si em seu confinamento pré-natal. E continuaram vivendo em conflito conforme foram crescendo. Hoje seus muitos descendentes lutam apaixonadamente para se sobrepujarem no Oriente Médio. Esaú foi um peludo homem do campo, pouco apreciando os valores espirituais. Ele mergulhou arriscadamente dentro da vida, apenas para descobrir que fora defraudado da melhor coisa que possuía, sofrendo um xeque-mate de um astuto suplantador. Jacó recebeu sua inspiração de Rebeca, que não via obstáculos quando queria alguma coisa. Isaque era fraco demais para manter a disciplina e impedir as tramas de Jacó e Rebeca.
Esaú parecia se preocupar apenas com assuntos materiais. Para ele, o direito de primogenitura, que envolvia bênçãos materiais e espirituais, tinha pouco valor até que o perdeu por sua própria culpa. O direito de primogenitura pertencia ao primogênito. Garantia-lhe uma posição mais honrosa do que a dos seus irmãos, a melhor parte da herança, as terras mais ricas, além das bênçãos que Deus fizera a Abraão e aos seus descendentes. O direito de primogenitura era de Esaú porque Deus permitiu que nascesse primeiro.
Nem Esaú nem Jacó demonstraram qualquer interesse louvável pelos tesouros espirituais. Ambos eram sordidamente egoístas e não compreendiam qual comportamento à altura de um homem que era príncipe de Deus. Jacó era ambicioso e queria pala si mesmo tudo o que pudesse lhe conceder algum destaque. Rebeca forneceu a faísca e tramou o esquema que garantiram vantagens para o seu filho favorito. Este teria um longo caminho a percorrer até se tomar o líder espiritual daqueles que teriam de adorar Jeová. Mas Deus era paciente; Ele não tinha pressa; Ele treinaria Seu líder.
Esaú estabeleceu sua residência nas montanhas rochosas do Edom. Anos mais tarde seus descendentes, o povo cuja nação ele instituiu, revelariam o mesmo tipo de filosofia que tinha seu antepassado e a mesma indiferença profana pelo programa eterno de Jeová dos Exércitos. Apesar de todos os incidentes desanimadores, o reino de Deus prosseguiu na direção da realização total do propósito divino.


Mais estudos bíblicos sobre o Livro de Gênesis

Interpretação de Gênesis 25 Interpretação de Gênesis 25 Reviewed by Biblioteca Bíblia on segunda-feira, julho 11, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.