Eclesiastes 4:1-16 — Significado e Explicação



Eclesiastes 4:1-16 — Significado e Explicação

Eclesiastes 4:1-16

Significado e Explicação

4.1 — Neste texto aparece uma queixa que ameaça o plano de Deus. O oprimindo pode estar sentindo tanta dor que talvez isso o faça perder a esperança na vida (1 Rs 19.4; Jo 3.3-10). Somente quando os oprimidos se renderem a Deus terão perspectivas de uma recuperação (Ec 5.1-6; SI 73.17) Visto que não tem consolador, a falta de qualquer pessoa que ofereça conforto só aumenta o sofrimento e a frustração.

4.2 — “Eu louvei os que já morreram.” Estar sem quem lhe console pode ser pior que a própria morte.

4.3 — “Aquele que ainda não é.” O sofrimento dos oprimidos á tão injusto e solitário que Salomão, com grande emprego de licença poética (semelhante a Jó 3.3-10), argumenta que não existir pode ser melhor do que existir.

4.4 — Trazem ao homem a inveja do seu próximo. Aos três obstáculos anteriores a aceitação de que o plano de Deus abrange tudo e acrescentado um quarto: a inveja e a concorrência cruel que há no mundo.

4.5,6 — Estes versículos consistem em dois adágios. Há numerosas declarações no livro de Provérbios sobre a natureza autodestrutiva da preguiça, típica do tolo. Além de condenar aquele que não trabalha, o autor adverte que mais vale uma mão cheia com descanso do que ambas as mãos cheias com trabalho e aflição de espírito. Deve-se, pois, preferir a moderação ao esforço excessivo. Em lugar da competição às vezes cruel do mercado, Salomão recomendava: melhor é o pouco com justiça do que a abundância de colheita com injustiça (Pv 16.8).

4.7,8 — O problema da tristeza e da solidão é outro obstáculo para aceitar o fato de que o plano de Deus abrange tudo. Pense na pessoa que não tem família, nem mesmo um herdeiro a quem deixar tudo aquilo por que tanto trabalhou. Em Eclesiastes 4.1 não há consolador; em 4.4-6 não há repouso, e em 4.8 não há companhia. Isso se resume a enfadonha ocupação, termo que se refere literalmente a uma tarefa maldosa ou pesada (Ec 3.10).

4.9-12 — Em toda esta seção são enfatizados os óbvios benefícios da companhia. A intimidade e o compartilhamento da vida aliviam os problemas do isolamento e da solidão. O companheiro pode oferecer assistência, conforto e proteção. A citação proverbial “o cordão de três dobras” é empregada para fechar o argumento do autor sobre o valor das alianças.

4.13, 14 — Antes de o pregador listar o último obstáculo (v. 14-16) a crença no plano perfeito de Deus, ele formula a resposta em forma de provérbio. A popularidade, mesmo na forma de poder real, e efêmera. Por um lado, um velho rei pode ter nascido para o trono, mas se tornado tão insensato que não consegue discernir que seus dias de governo acabaram. Por outro, um jovem, pode ser sábio e assumir o trono (ver Gn 41.14,37-41).

4.15,16 — Os descendentes. Até mesmo o jovem que substitui seu predecessor partilhará do destino do rei. O herói de hoje pode ser o mendigo de amanhã.

Índice do comentário: Eclesiastes 1 Eclesiastes 2 Eclesiastes 3 Eclesiastes 4 Eclesiastes 5 Eclesiastes 6 Eclesiastes 7 Eclesiastes 8 Eclesiastes 9 Eclesiastes 10 Eclesiastes 11 Eclesiastes 12

Eclesiastes 4:1-16 — Significado e Explicação Eclesiastes 4:1-16 — Significado e Explicação Reviewed by Biblioteca Bíblia on quinta-feira, abril 18, 2013 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.