Interpretação de Gênesis 38



Interpretação de Gênesis

Interpretação de Gênesis 38


Judá e Tamar. 38:1-30.
No meio da narrativa descrevendo a carreira de José no Egito, o escritor do Gênesis introduz a narrativa do vergonhoso envolvimento de Judá com os cananeus. Judá era o membro líder da família de Jacó, aquele que estava destinado a ser o canal de todas as ricas bênçãos de Jeová concedidas a Abraão e por meio de Abraão às futuras gerações do mundo. O nome de Judá devia destacar-se na linhagem messiânica. Davi seria um dos seus respeitáveis descendentes.
2-11. Viu Judá a filha de um cananeu, chamado Sua; ele a tomou. Esta informação adicional sobre a vida familiar em Canaã revela a que profundezas da imoralidade, pelo menos alguns dentre o Povo Escolhido trilham caído. Judá casou com a filha de Sua, um cananeu pagão, e assim deu início a uma corrente de acontecimentos pecaminosos. Dois filhos, Er e Onã, morreram sem deixar descendência. Judá prometeu a Tamar, que fora esposa dos dois irmãos, um após o outro, que teria por marido o seu terceiro filho Selá, quando este alcançasse a idade conveniente. Era preciso que houvesse descendência.
12-23. Mais tarde, quando Tamar percebeu que seu sogro não pretendia cumprir a promessa, resolveu ela mesma fazer alguma coisa. Pretendendo ser uma kedishot (prostituta sagrada), envolveu Judá em relações ilícitas com ela.
24-26. Quando Judá soube que Tamar estava grávida, declarou-a digna de morte, para descobrir que ele mesmo era o culpado, o pai daquela criança. Ele disse: Mais justa é ela do que eu.
27-30. A narrativa do nascimento de gêmeos, Perez e Zerá, termina o capítulo. O contraste entre José e seu irmão mais velho toma-se mais evidente quando José revelou o seu caráter na hora da tentação. Judá precisava nascer de novo para se tornar agradável diante do Senhor.

Mais estudos bíblicos sobre o Livro de Gênesis

Interpretação de Gênesis 38 Interpretação de Gênesis 38 Reviewed by Biblioteca Bíblica on domingo, julho 10, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.