Interpretação de Êxodo 8



Interpretação de Êxodo

Interpretação de Êxodo 8

(Interpretação da Bíblia)



A Segunda Praga – Rãs. 8:1-15.
Sempre houveram rãs enchendo os brejos à beira do Nilo. No entanto, sob a ordem de Moisés, elas apareceram aos milhares e invadiram de tal maneira todos os lugares concebíveis, que tomaram-se uma perturbação insuportável.
7. Então os magos fizeram o mesmo. Embora de algum modo fizessem aparecer mais rãs, foram completamente incapazes de as remover.
8. Faraó ficou tão transtornado com esta situação repulsiva que estava pronto a prometer qualquer coisa. Ele já fora forçado a reconhecer o Deus que desdenhara.
9. Digna-te dizer-me. Tenha a honra de dizer (Moffatt).
15. Alívio (lit., espaço livre). “Logo que ele pôde respirar aliviado, endureceu o seu coração” (KD).
4) A Terceira Praga – Piolhos. 8:16-19.
Piolhos (E.R.A.), piuns (Moffatt), bicho-de-pé (E.R.V.) e mosquitos (Moffatt), todos têm sido sugeridos como instrumentos desta praga. Embora o significado exato da palavra hebraica não seja conhecido, os mosquitos, que são muito comuns no Egito, parecem ser especialmente apropriados. Deve-se notar que esta foi novamente a intensificação de uma experiência natural. As pragas estavam também se intensificando de uma inconveniência para uma aflição dolorosa.
17. O pó da terra. “Exatamente como as fertilizadoras águas do Egito tomaram-se uma praga duas vezes, assim, por meio do poder de Jeová, o solo tão ricamente abençoado tomou-se uma praga para o rei e seu povo” (KD).
19. O dedo de Deus. Os mágicos derrotados reconheceram que isto era um acontecimento sobrenatural. Não o atribuíram a Jeová, mas confessaram que estava além dos seus poderes mortais. O fato de terem imitado de algum modo as pragas anteriores, torna a sua capitulação mais extraordinária. Uma vez que não há limite de tempo expresso para esta praga, podemos deduzir que prolongou-se por algum tempo.
5) A Quarta Praga – Enxames de Moscas. 8:20-32.
A segunda tríade de pragas fez distinção entre Israel e os egípcios. A confissão dos mágicos de que “um deus” causara essas perturbações, tinha agora de ser reforçada e era preciso esclarecer o fato de que fora o Deus Jeová que as causara.
21. Moscas. A palavra indica algum tipo de inseto particularmente irritante, ou moscas ou mosquitos. A palavra hebraica para “enxames” significa “uma mistura” e pode ser que indique o desenvolvimento de todo o tipo de parasitas.
22. Separarei. Porei de lado. Por causa do fato de Israel ser protegida de todas as futuras pragas, ficaria claro cujo Deus estava no poder.
23. Distinção (lit., redenção). A separação era uma libertação para Israel.
24. Arruinada. Corrompida; destruída. As pragas continuavam aumentando em gravidade; já não eram um simples contratempo, mas um perigo. O povo sofria, o trabalho era prejudicado e toda a economia estava transtornada.
26. Abomináveis aos egípcios. Quer Moisés tenha se referido à maneira do sacrifício ou à vitima, que os egípcios consideravam sagradas, o povo do Egito considerada o ato “como uma manifestação de desrespeito contra eles e seus deuses” (Calvin's Commentaries).
28. Pela segunda vez Faraó deu a sua permissão para os israelitas partirem; mas removida a praga, apesar da advertência de Moisés (v. 29), e banido o medo, ele tornou a negar o pedido.

Mais estudos bíblicos sobre o livro de Êxodo: Introdução ao livro de Êxodo; Esboço do livro de Êxodo; Estudo do livro de Êxodo; Teologia do livro de Êxodo; Panorama do livro de Êxodo; Significado do livro de Êxodo; Estudo devocional do livro de Êxodo; Comentário do livro de Êxodo; Autoria do livro de Êxodo; Escopo e Propósito do livro de Êxodo

Interpretação de Êxodo 8 Interpretação de Êxodo 8 Reviewed by Biblioteca Bíblica on quarta-feira, janeiro 20, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.