Interpretação de Êxodo 32



Interpretação de Êxodo

Interpretação de Êxodo 32

(Interpretação da Bíblia)


Índice: Êxodo 1 e 2 Êxodo 3 Êxodo 4 Êxodo 5 Êxodo 6 Êxodo 7 Êxodo 8 Êxodo 9 Êxodo 10 Êxodo 11 Êxodo 12 Êxodo 13 Êxodo 14 Êxodo 15 Êxodo 16 Êxodo 17 Êxodo 18 Êxodo 19 Êxodo 20 Êxodo 21 Êxodo 22 Êxodo 23 Êxodo 24 Êxodo 25 Êxodo 26 Êxodo 27 Êxodo 28 Êxodo 29 Êxodo 30 Êxodo 31 Êxodo 32 Êxodo 33 Êxodo 34 Êxodo 35 Êxodo 36 Êxodo 37 Êxodo 38 Êxodo 39 Êxodo 40

A Transgressão da Aliança e a Sua Restauração. 32:1 - 34:35.
O povo de Israel achou difícil andar pela fé mesmo durante os quarenta dias em que seu líder visível esteve ausente. Exigiu que Arão produzisse um sinal tangível da presença de Deus. É incerto se foi transgredido o primeiro mandamento, um repúdio de Jeová como Deus, ou o segundo, a feitura de uma imagem que representasse Jeová. Em qualquer dos casos, foi uma transgressão clara e deliberada da aliança à qual se submeteram tão ousadamente algumas semanas antes, uma aliança selada com sangue.

Êxodo 32
1) Israel Exige um Deus. 32:1-6.
“Não queriam mais continuar sem que um Deus fosse diante deles; mas a fé sobre a qual seu desejo se fundamentava era muito pervertida, não apenas o apegar-se ao que era visível, mas também a impaciência e a incredulidade de um coração natural que não foi permeado pelo poder do Deus vivo, e imagina-se abandonado por Ele sempre que a Sua ajuda não é visível e à disposição imediata” (KD).
1. Deuses. A palavra Elohim, embora no plural, geralmente traduz-se por Deus, embora possa e tenha sido traduzida para deuses também. No presente exemplo é difícil saber como traduzir, e os comentadores se dividem porque, conforme acima mencionado, não sabemos exatamente o que estava na mente do povo. Tardava. Literalmente, envergonhar, isto é, não voltando.
4. São estes . . . os teus deuses. Ou, Este seja o teu Deus. Trabalhou. Os ídolos de antigamente costumavam ser feitos, revestindo a estrutura de madeira com placas de ouro e prata (Is. 40:19, 20; 44: 12-17; Jr. 10:1-9). É pouco provável que Arão tenha fundido um animal de ouro sólido. Bezerro. O Apis egípcio e o Baal fenício eram ambos representados como touros, uma representação comum da força e da fertilidade entre os povos daquele tempo. Fosse qual fosse o impulso original dos israelitas, a feitura da imagem foi o primeiro passo para um carrinho escorregadio, o qual levava para a final identificação de Jeová com os deuses das outras nações (cons. Is. 40; Jr. 10).
6. Levantou-se para divertir-se. A idolatria era acompanhada de danças sensuais e lascivas as quais faziam parte do culto à fertilidade.
2) O Pecado de Israel Revelado a Moisés por Deus. 32:7-14.
7. O teu povo. Com estas palavras Deus parecia estar deserdando Israel. A frase podia ser usada (como KD sugere) porque eles eram os transgressores de uma aliança na qual Moisés fora o mediador, sendo por isso particularmente seus.
10. De ti farei. “Deus coloca o destino da nação na mão de Moisés, para que se lembre de seu oficio medianeiro, e se mostre digno da sua vocação. Esta condescendência de Deus, que colocou a preservação ou destruição de Israel nas mãos de Moisés, veio junto com uma promessa que deu lugar a à mais completa liberdade de decisão . . . uma grande prova para Moisés, se ele quisesse desistir de seu próprio povo, carregado como estava de culpa, como preço de sua própria exaltação. E Moisés passou no teste. A preservação de Israel lhe foi mais cara que a honra de se tomar o cabeça e o fundador de um novo reino de Deus” (KD).
11. Moisés rogou por Israel nesta oração de intercessão porque era o seu povo; por causa do grande livramento que Deus já tinha operado; e para que os egípcios não zombassem, mal-interpretando os motivos da destruição; e finalmente, ele reivindicou a promessa feita aos pais.
14. Então se arrependeu o Senhor. “Diz-se de Deus que Ele se 'arrependeu' não porque realmente mude Seus propósitos, mas porque Ele o faz aparentemente, quando, em conseqüência de uma mudança no caráter e conduta dos homens, fica obrigado a fazer uma mudança correspondente nos propósitos anunciados e adotar para com eles uma nova atitude” (Cambridge Bible). Keil e Delitzsch mencionam “a profunda idéia espiritual do arrependimento de Deus, como uma antropopatia da dor que sofre o amor de Deus por causa da destruição de Suas criaturas”.

3) Moisés Retorna ao Acampamento. 32:15-24.
19. A visão real da espalhafatosa transgressão afetou Moisés mais fortemente do que o aviso pôde fazê-lo. Cheio de indignação, jogou no chão as tábuas de pedra, as tábuas cujas ordens já tinham sido transgredidas pelos corações e atitudes de Israel.
20. A parte interna da imagem que era feita de madeira, foi queimada, o metal pulverizado, e o pó do carvão com o ouro foi jogado na água. O povo foi humilhado bebendo o seu próprio pecado.
4) Castigo dos Idólatras. 32:25-29.
Os levitas podiam estar envolvidos no pecado dos demais, mas se estavam, houve vergonha e arrependimento imediato e a prontidão de sua parte de abandonar a sua idolatria para voltaram a Jeová. A teimosa persistência dos outros no seu pecado tornou-se clara por sua falta de vontade em responder ao chamado, Quem é do Senhor? (v. 26).
25. À solta. Literalmente, isto é, livre de qualquer restrição e obediência a Deus.
27. Passai e tornai a passar pelo arraial. Varram o campo de ponta á ponta (Moffatt). “Como em qualquer outra dizimação, a seleção tinha de ser determinada por sorte ou escolha acidental, por isso Moisés deixou que a situação fosse determinada pelo acaso, em relação a quem deveria cair debaixo da espada dos levitas, sabendo muito bem que até mesmo o chamado acaso estaria sob a orientação de Deus . . . A atitude submissa do povo em geral pode ser explicada parcialmente por causa do respeito que tinham por Moisés, a quem Deus tão poderosa e maravilhosamente autorizara como Seu servo diante de toda a nação, e parcialmente por causa do desânimo e do medo tão naturais a uma consciência culpada” (KD).
29. Consagrai-vos. . . cada um contra o seu filho. Vocês se dispuseram. . . cada um à custa de seu filho (RSV). “Na causa do Senhor, ninguém deve poupar nem mesmo o seu mais achegado parente, mas deve negar filho ou irmão por amor do Senhor” (KD; cons. Dt. 33:9; Mt. 10:37, 38).
5) A Intercessão de Moisés pelo Pecado de Israel. 32:30-35.
30. Porventura, farei propiciarão. Expiação pelo pecado era uma coisa muito maior do que até o próprio Moisés entendia. Só o Cordeiro de Deus podia tirar o pecado do mundo.
32. Risca-me . . . do livro que escreveste. “Excluir da comunhão com o Deus vivo, ou do reino daqueles que vivem diante de Deus, para entregá-lo à morte. Como verdadeiro mediador do seu povo, Moisés estava pronto a arriscar sua própria vida pelo livramento da nação, e não permanecer ele mesmo diante de Deus, se Jeová não perdoasse ao povo o seu pecado” (KD; cons. Rm. 9:3). “Não é fácil estimar a medida do amor que havia em Moisés e em Paulo; os estreitos limites do nosso raciocínio não podem compreendê-lo, como a criancinha não consegue compreender a coragem dos heróis de guerra” (Bengel, Gnomon of the N.T.).
33. Todo aquele que pecar. Nem mesmo o sacrifício de Moisés podia tirar o pecado.
34. “Moisés obtivera a preservação do povo e a sua entrada na terra prometida, sob a proteção de Deus, por meio de sua intercessão, e desviara da nação a ab-rogação da aliança; mas o relacionamento da aliança que existira antes, não foi restaurado em sua integridade. Embora a graça possa modificar e abrandar a ira, ela não pode desfigurar a justiça do Deus santo” (KD).

Mais estudos bíblicos sobre o livro de Êxodo: Introdução ao livro de Êxodo; Esboço do livro de Êxodo; Estudo do livro de Êxodo; Teologia do livro de Êxodo; Panorama do livro de Êxodo; Significado do livro de Êxodo; Estudo devocional do livro de Êxodo; Comentário do livro de Êxodo; Autoria do livro de Êxodo; Escopo e Propósito do livro de Êxodo

Interpretação de Êxodo 32 Interpretação de Êxodo 32 Reviewed by Biblioteca Bíblia on quarta-feira, janeiro 20, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.