Interpretação de Êxodo 16



Interpretação de Êxodo

Interpretação de Êxodo 16

(Interpretação da Bíblia)



16:1. Deserto de Sim. De acordo com Nm. 33:10-12, o povo de Israel viajou ao longo do litoral, possivelmente pela costumeira rota até as minas do Sinai. Em Dofcá voltaram-se na direção do Deserto de Sim. Se Dofcá pode ser identificada com Serabit el-Khadem, então o Deserto de Sim é a planície ao longo da margem do platô, chamado Debbet er-Ramleh. As indicações geográficas são demasiadamente precárias para termos muita certeza.
2. Novamente, as circunstâncias da provisão divina combinadas para provar a fé e a obediência de Israel.
7. A glória do Senhor. O olho da fé vê a glória do Senhor no pão e na carne que Ele fornece. Que somos nós. Nós não somos ninguém, por que vocês se queixam de nós? (Moffatt).
10. E eis que a glória. A evidência inequívoca da presença de Deus na coluna de fogo autenticou as palavras de Moisés e preparou o povo para a glória ainda mais velada do milagre seguinte.
14. Uma coisa fina e semelhante a escamas.
15. Isto é o pão (maná). De meinhu’ “que é isto?” O nome maná pode ter surgido da pergunta, ou então a semelhança de sons pode ter relacionado as duas palavras.
16. Ômer. Cerca de duas quartas (1 quarta - 1,13 litros).
23. Sábado. Isto indica que embora o sábado já fosse conhecido, não era guardado de uma maneira especial.
31. Maná. Há uma espécie de tamargueira que cresce na Península, da qual poreja, talvez devido à picada de um inseto, durante as noites de verão, um líquido que forma pequenas bolinhas brancas. Os árabes as ajuntam, as quais depois de cozidas, são usadas como mel. Tem um sabor e um aroma adocicados. Podem ser guardadas durante muito tempo em um local fresco, mas derretem ao sol; não podem ser moídas ou assadas. Parecem-se muito com o maná da Bíblia, mas também diferem bastante. As Escrituras, não apenas em sua descrição do maná, mas em seu registro da maravilhosa provisão durante os quarenta anos (v. 35) tornam claro que o maná não era um fenômeno natural, mas uma provisão especial da mão do Senhor. Coentro. Uma semente miúda de um branco cinza, com um agradável sabor, muito usada como condimento.
33,34. Diante do Senhor . . . diante do Testemunho. Isto é, diante das tábuas da Lei na arca. Esta orientação deve ter sido dada mais tarde, talvez quando o maná estava para acabar.
35. Isto não deve ser compreendido que os israelitas não tivessem nada mais para comer durante os quarenta anos. Durante a estada no Sinai, puderam muito bem semear e colher cereais, e também de tempos em tempos obter alimento com os mercadores.

Mais estudos bíblicos sobre o livro de Êxodo: Introdução ao livro de Êxodo; Esboço do livro de Êxodo; Estudo do livro de Êxodo; Teologia do livro de Êxodo; Panorama do livro de Êxodo; Significado do livro de Êxodo; Estudo devocional do livro de Êxodo; Comentário do livro de Êxodo; Autoria do livro de Êxodo; Escopo e Propósito do livro de Êxodo

Interpretação de Êxodo 16 Interpretação de Êxodo 16 Reviewed by Biblioteca Bíblia on quarta-feira, janeiro 20, 2016 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.