Interpretação de Isaías 24 e 25




Interpretação de Isaías 24 e 25





Isaías 24
Sermão I. Juízo universal para o Pecado Universal. 24:1-23.
Interpretação de Isaías 24 e 25
O juízo que foi particularizado nos capítulos 13-23 para cada uma das nações envolvidas com a Palestina agora está sendo apresentado como iminente a ser derramado sobre a terra como um todo. O verso 4 torna claro que terra aqui deve significar "todo o mundo habitado" e não simplesmente a terra (da Palestina), como a terra do v. 3 poderia ser diferentemente interpretada. Aqui se tem em vista justamente duas classes de homens: a sociedade perversa e corrupta deste mundo; e o povo fiel a Deus. Sem distinção quanto à classe ou condição, a ira do Todo-Poderoso está para ser derramada sobre todas as pessoas do mundo; e todos os prazeres do pecado ser-lhe-ão arrancados. Só um mínimo remanescente (vs. 6, 13) sobreviverá a esta destruição geral.
Por outro lado, haverá um grupo de crentes por todo o mundo que se regozijará com esta operação da justa condenação do pecado por Deus (vs. 14-16). No presente, conforme Isaías reconhece com tristeza (v. 16b), parece que a impiedade triunfa vitimando o devoto povo de Deus. Mas um destino terrível aguarda cada cidadão da terra conforme o mundo se aproxima de um catastrófico fim (v. 19). E os altivos governadores humanos serão lançados na prisão do inferno para aguardarem o juízo final de Deus (v. 22). Então a glória de Deus será revelada (quando Cristo retornar para reinar sobre a terra) em tal resplendor que a luz do sol e da lua empalidecerão de insignificância. Jerusalém será a capital do império messiânico, e seus fiéis seguidores se aquecerão na sua radiância (cons. os vinte e quatro anciãos em Ap. 4:4; 7:11; 14:3)

Isaías 25
Sermão II. Jeová Louvado como Libertador e Confortador de Sião. 25:1-12.
Como porta-voz do povo da aliança divina, o profeta dá expressão ao louvor de adoração do Senhor por Sua maravilhosa providência e Sua conduta para com os homens. Através dos séculos o Santo impõe as suas leis a todos aqueles ofensores que a transgrediram. A mais forte será destruída e desfeita em ruínas se os seus habitantes não tiverem fé em Deus. Mal os fiéis e obedientes serão preservados e protegidos através dos anos. Apesar das provas e desvantagens, eles sobreviverão através dos séculos mesmo depois que os mais arrogantes impérios humanos tiverem se desfeito em pó.
6. Neste monte. Monte Sião. Todos os povos sem dúvida inclui os cristãos gentios, que estarão incluídos nas bênçãos do Israel espiritual. Coisas gordurosas. Pratos especiais preparados com azeite de oliva e tutano, grandemente apreciados pelos semitas. Vinhos velhos bem clarificados (ou "sem resíduo") eram vinhos filtrados, constituindo uma bebida transparente e muito saborosa. Estes detalhes sobre alimento e bebidas simbolizam os deleites e as satisfações nutritivas do Evangelho. Talvez também simbolizem "a ceia das bodas do Cordeiro" (Ap. 19:9).
7. A coberta. O véu de cegueira espiritual que encobre as almas dos incrédulos.
8. Para sempre e não em vitória (uma vez que lanesah tem esse significado em qualquer outro lugar; contudo nesah significa "glória" em duas outras passagens do V. T. ). Esta promessa se refere à vitória final dos céus (cons. I Co. 15:54; Ap. 21:4).
10. Moabe representa aqui o mundo obstinadamente hostil e incrédulo, cujas tropas que se opõem a Deus serão exterminadas na destruição final.

12. Seus muros. Dirige-se diretamente a Moabe. Todas as fortificações do mundo rebelde se comprovarão incapazes contra Deus.

Interpretação de Isaías 24 e 25 Interpretação de Isaías 24 e 25 Reviewed by Biblioteca Bíblica on terça-feira, julho 11, 2017 Rating: 5
Tecnologia do Blogger.